• Dra. Tielle Machado

Vitamina D no Autismo e a eficácia da suplementação para autistas

VOCÊ JÁ FEZ O EXAME DE VITAMINA "D" NO SEU FILHO?

Sempre solicitado nas minhas consultas, o acompanhamento dos níveis de Vitamina D é fundamental para as crianças autistas. Veja os resultados obtidos neste estudo científico:

Publicado pela Nutricional Neuroscience em 2016, este estudo avaliou a deficiência da vitamina D em 122 crianças com transtornos do espectro autista (TEA).


➡️ 57 % dos pacientes do estudo mostraram deficiência de vitamina D e 30% mostrou deficiência extrema.


➡️ Os níveis médios de 25‐OHD nos pacientes com autismo severo foram significativamente mais baixos do que aqueles apresentados por pacientes com autismo leve ou moderado.


➡️ 106 crianças do grupo TEA que apresentaram deficiência de 25-OHD (<30 ng/ml) receberam doses de vitamina D3 (300 IU/Kg/dia sem exceder 5.000 IU/dia) durante 3 meses.

Dessas 106 crianças, 83 completaram os 3 meses de doses diárias de vitamina D3 e 80,7% dessas crianças (67 de 83) que receberam vitamina D3 mostraram ao final do terceiro mês:


✅ Melhoras no comportamento.

✅ Menos comportamentos estereotípicos.

✅ Mais contato visual.

✅ Maior tempo de atenção.

Antes que questionem, não estou dizendo que deficiência de vitamina D3 é a causa autismo nem muito menos que a reposição de vitamina D3 é a cura. Como sempre, o foco aqui é: O que podemos fazer para reduzir os sintomas e melhorar a qualidade de vida dos autistas.

E a vitamina D é barata, grátis quando absorvida do SOL, segura e pode ser muito eficiente principalmente quando os níveis estão abaixo de 30 ng/ml .


⛔As informações desse texto e o conteúdo desta página tem caráter exclusivo de informação geral sobre saúde e não substituem consulta com médico ou nutricionista, diagnóstico ou tratamentos.


Referência Bibliográfica:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25876214


     Copyright © 2016 Dra. Tielle Machado CRM- 52.86811-6