Nutrição 

Por Dra. Tielle Machado em 12/07/2016

Nos dias de hoje, principalmente aqui no Ocidente, a nossa cultura

nos afasta cada vez mais de uma nutrição saudável e correta.

Nosso estilo de vida, nossa sociedade e a mídia contribuem em

muitos fatores para essa desinformação generalizada sobre a

importância e o impacto das vitaminas e minerais no nosso

organismo. 

Todos entendem que o alimento é o combustível para o nosso

corpo. O que não entendem é que existe o "alimento" e também

existe o "produto alimentício". Um faz bem, o outro engana e faz

mal. Muitos dos micronutrientes em alimentos são bases de uma

medicina preventiva, pois diminuem a inflamação, fortalecem os

ossos e etc. Enquanto que o produto alimentício colabora com a acidificação, processos inflamatórios, resistência a insulina, ganho de peso e doenças variadas.

 

Alimentos são aqueles tal como os encontramos na natureza: sem conservantes, sem aditivos ou sem nenhum produto que os modifiquem ou interfiram na sua validade.

O problema é que a nossa comida mudou tão drasticamente ao longo dos últimos cem anos que hoje em dia grande parte da nossa dieta é baseada em comidas processadas (produto alimentício). Contamos com os "fast food" e alimentos processados ​​ricos em gorduras trans e açúcar, formas de cozimento e fritura com óleos muito aquém do que é considerado saudável, o que resultou em uma epidemia de obesidade, diabetes e outros diversos problemas de saúde.

 

Produto alimentício são aqueles que passaram por alguma interferência que modificou sua forma original. A maioria nem sequer contém o alimento em sua forma natural. São formulados com muitos aditivos, conservantes e aromatizantes para dar gosto, cheiro e aparência atraente, além de prolongar o prazo de validade.

Nossa dieta típica é rica em calorias de baixa qualidade nutricional. Setenta por cento (70%) do alimento que comemos são processados, o que significa que são deficientes em fibras, em nutrientes essenciais, são quimicamente alterados e carregados de conservantes. Nós comemos poucos alimentos frescos e  menos ainda alimentos orgânicos. Você passa um dia inteiro se alimentando e se parasse para analisar o que ingeriu neste dia, ficaria assustado com as quantidades baixíssimas ingeridas de vitaminas e minerais essenciais ao corpo (alimentos) e as quantidades elevadas ingeridas de anti-nutrientes (produtos alimentícios). Isso em 1 dia. Agora multiplique por 365. Agora projete em anos de vida. Já viu o problema vindo lá na frente, certo? 

E o quadro só se agrava. Mesmo quando fazemos um esforço para consumir frutas e vegetais frescos, não conseguimos mais colher os mesmos benefícios nutricionais que nossos antepassados ​​colheram. Qual é a razão? Os métodos modernos da agricultura de hoje empobrecem o solo de minerais, que se traduz em produtos empobrecidos de nutrientes. Além disso, os nutrientes são perdidos quando o produto é enviado de fazendas para supermercados, durante o processo de cozimento, e até mesmo por serem expostos ao ar e à luz. Uma vez que os nossos alimentos são nutricionalmente deficientes, nossos corpos também são.

 

Com o passar do tempo o solo vai se esgotando, ou seja, o solo vai perdendo os nutrientes e ficando incapaz de nutrir as plantas.  A esse fato chamamos de esgotamento do solo.

 

Um estudo mostrou que a presença de cálcio e magnésio nos principais grupos alimentares consumidos pelos brasileiros, não é suficiente. A concentração desses minerais em 100g de alimentos representa apenas até 10% da IDR (ingestão diária recomendada). Deste modo, mesmo com uma alimentação saudável, os alimentos chegam à mesa do brasileiro sem a quantidade nutricional e mineral necessária para a saúde, pois seu plantio foi feito em solo empobrecido. Clique aqui e aprenda mais sobre a importância do magnésio para a vida.

 

Para completar esse quadro crítico, entra a desinformação das pessoas sobre o que é saudável e o que não é. A indústria alimentícia, cuja prioridade número 1 é o lucro financeiro, produz alimentos e intitula como "saudáveis", ou "ricos em minerais" ou "acrescido de vitaminas" e esconde uma verdadeira bomba relógio por traz dessa propaganda. O problema é que anos mais tarde, quando essa bomba explode no seu corpo na forma de doença, ninguém, nem você, nem a medicina convencional faz uma correlação entre a doença adquirida e a conduta alimentar praticada ao longo dos anos.

 

A verdade não vende bem, não dá lucro. Seria sábio você apagar os últimos 70 anos de desinformação que você recebeu a respeito de nutrição. Essa desinformação continua se perpetuando, trazendo lucro para alguns à custo da saúde de muitos.

Uma nutrição adequada é essencial para a saúde geral e a destoxificação do organismo. Praticamente todas as reações químicas do nosso corpo requerem enzimas. Muitas dessas enzimas requerem cofatores, (por exemplo um cofator vitamina ou ainda um cofator mineral) para que ocorram as reações químicas que mantêm nossas funções físicas e mentais. Uma nutrição sadia e balanceada garante que as matérias-primas estejam sempre disponíveis para ajudar a nossa sustentação de saúde em todos os momentos. 

Entretanto o componente essencial hoje em dia no meio de toda essa "variedade e oferta de alimentos processados" que invade nossas casa é a orientação profissional. Nós entendemos como pode ser confuso peneirar a variedade de alimentos e produtos que se aglomeram nas prateleiras dos supermercados ou loja de produtos naturais e você se pergunta se eles são de alta qualidade ou não. Entender como a nutrição interage com o seu organismo é um fator essencial a ser considerado. Tenha sempre em mente que cada pessoa é diferente uma da outra, devido a sua formação genética, seus hábitos alimentares, seu nível toxicológico, exercícios que pratica, quadro clínico, medicamentos que faz uso, diagnósticos médicos, ou seja, uma combinação de fatores que particularizam cada indivíduo. Um plano nutricional eficiente deve ser detalhado e personalizado para maximizar a sua saúde, o seu bem estar e evitar riscos. Este plano também pode incluir recomendações de medicina integrativa e funcional, como mudanças de estilo de vida, dieta balanceada, exercícios físicos e aconselhamento nutricional.

 

O conhecimento nos faz tomar boas decisões. A vida também pode e deve ser gostosa, mas consumir com inteligência e informação é sempre a melhor opção. Visite o meu blog ( clique aqui ) e tenha mais acesso a informação que pode mudar a sua vida.

     Copyright © 2016 Dra. Tielle Machado CRM- 52.86811-6