top of page
Dra Tielle Name.png

BMJ PUBLICA ESTUDO SOBRE PESTICIDAS E AUTISMO



"Os resultados de um dos maiores estudos já realizados sobre pesticidas sugerem que o risco de autismo aumenta com a exposição pré-natal e infantil a vários pesticidas ambientais que já foram previamente mostrados capazes de afetar o neurodesenvolvimento."

Em um dos maiores estudos já realizados sobre os efeitos potenciais da exposição a pesticidas em fetos e recém-nascidos, os cientistas descobriram que a exposição a pesticidas estava associada a um maior risco de transtorno do espectro do autismo.


Liderados pela Dra Ondine von Ehrenstein, PhD em Epidemiologia, especialista em neurodesenvolvimento e autismo, e professora da Universidade da Califórnia em Los Angeles, os pesquisadores analisaram dados de registro de autismo na Califórnia, juntamente com dados sobre a pulverização de pesticidas no estado. Suas descobertas foram publicadas no BMJ (The British Medical Journal), uma das mais prestigiadas revistas científicas do mundo com um elevadíssimo fator de impacto.

O estudo incluiu cerca de 38.000 indivíduos com 2.961 casos de autismo. Os cientistas descobriram que mulheres grávidas e que viviam em um raio de 2.000 metros de uma área altamente pulverizada tinham de 10% a 16% mais probabilidade de ter crianças diagnosticadas com autismo do que mulheres que viviam em locais mais distantes das áreas pulverizadas. Os pesquisadores investigaram a pulverização de 11 pesticidas populares, incluindo clorpirifós, diazinon e permetrina (frequentemente usados ​​para controlar carrapatos).


Quando eles analisaram os diagnósticos de transtorno do espectro autista acompanhados de deficiência intelectual, eles encontraram taxas em média 30% mais altas entre as crianças que foram expostas aos pesticidas durante o útero. A exposição no primeiro ano de vida aumentou o risco de autismo em até 50% em comparação com aqueles não expostos a certos pesticidas.


Os11 pesticidas selecionados no estudo já haviam sido demonstrados em pesquisas anteriores como potencialmente prejudiciais no desenvolvimento do cérebro e danos ao sistema nervoso.


Entrevistada pela revista TIME, a Dra Von Ehrenstein afirma: “O problema é que, ao contrário de comportamentos como fumar ou beber álcool, a exposição a pesticidas geralmente não está sob o controle das pessoas e as mulheres grávidas muitas vezes não sabem que estão expostas aos produtos químicos. As pessoas podem ser expostas a pesticidas não apenas por meio da pulverização, mas também pela ingestão de produtos que foram tratados com produtos químicos, portanto, evitar essas frutas e vegetais pode ser outra forma de reduzir o risco”


Von Ehrenstein espera que resultados como os dela melhorem a consciência pública e levem a mudanças nas políticas dos pesticidas e a buscar alternativas com menos impacto na saúde humana.


Tradução da conclusão do estudo: “Nossos resultados sugerem que o risco de autismo aumenta com a exposição pré-natal e infantil a vários pesticidas ambientais comuns que já foram previamente mostrados capazes de afetar o neurodesenvolvimento em outros estudos. Sobre uma perspectiva de saúde e medicina preventiva, nossas descobertas apoiam a necessidade de evitar a exposição pré-natal e infantil a pesticidas para proteger o desenvolvimento inicial do cérebro.”


Em editorial do próprio British Medical Journal, outros cientistas parabenizaram e excelente conduta da pesquisa liderada pela Dra Von Ehrenstein e confirmam a importância dos resultados: “Achados de estudos epidemiológicos observacionais, como este, são importantes para motivar o trabalho de acompanhamento destinado a elucidar os mecanismos biológicos subjacentes e informar as políticas públicas.”; declara o Editorial.

Sds,

Dra Tielle Machado

👨‍🎓👩‍🎓 PÓS-GRADUAÇÃO EM AUTISMO E TDAH

📘 EBOOK GRATUITO AQUI

Você também pode nos encontrar aqui ↴

▼ INSTAGRAM:

▼ CANAL NO YOUTUBE:


📚 REFERÊNCIAS:


BMJ 2019;364:l962 Prenatal and infant exposure to ambient pesticides and autism spectrum disorder in children: population based case-control study doi.org/10.1136/bmj.l962 (Published 20 March 2019)


BMJ 2019;364:l1149 Pesticides and autism doi: 10.1136/bmj.l1149


TIME MAGAZINE: A Mother's Exposure to Pesticides During Pregnancy May Raise Children's Autism Risk


Comments


  • Instagram
  • Facebook Basic Square
  • YouTube
Posts Recentes
bottom of page